Dicas de decoração para quartos de recém-casados

Para decorar o quarto, em primeiro lugar o casal tem que ter em mente qual é o estilo desejado: estilo romântico, moderno, clean, clássico... Assim podemos ir à busca dos itens essenciais como a cama, a cabeceira, o enxoval, a cor da parede e objetos que formarão um ambiente equilibrado, harmonioso e aconchegante, afinado com o estilo dos recém-casados.

Quando o quarto não é muito grande, o uso de cores claras e objetos transparentes garantem mais amplitude ao ambiente. Apostar em roupas de cama brancas, espelhos, cortinas translúcidas, prateleiras em vidro e móveis em acrílico transparente, como uma cadeira, é uma ótima opção. Contudo o ambiente não precisa ser monocromático, isto daria a sensação de monotonia. Ao utilizar as cores criamos a identidade do ambiente.

Ao falar sobre espaços reduzidos, o uso de cores escuras nas paredes não é recomendado. Segundo o Feng Shui, arte chinesa para criar espaços harmoniosos, o uso de lilás e violeta também não é indicado por se tratarem de cores muito espiritualizantes e inadequadas ao clima de lua-de-mel. O ideal seria usar algum quadro colorido, papel de parede, cor ou adesivo em uma das paredes, de preferência a da cabeceira para não cansar visualmente, e utilizar tons claros como o amarelo, o bege, o areia e o gelo nas demais. Empregar as cores fazendo o uso de manta sobre a cama, almofadas e luminárias proporcionam um resultado bastante agradável. Usar a madeira em alguns detalhes como cabeceira, criados e painéis, traz o conforto e aconchego ao quarto, evitando, nestes ambientes pequenos, os tons muitos escuros como o ébano.

A escolha dos móveis tem que se basear no espaço disponível, é preciso verificar se as peças se encaixam nas dimensões existentes. Para garantir o aproveitamento do espaço prefira os armários embutidos e com portas de correr. No caso das camas box, o uso de painel de madeira (natural ou revestido por tecidos) ao invés da cabeceira, ocupa menos espaço devido a sua espessura reduzida. Um cabideiro de pé ou cabide de parede são ótimos para a organização. Para uma boa circulação tem que ser preservado ao menos 70cm entre os móveis.

Já se tratando de ambientes amplos, podemos fazer o uso de diversos recursos para criar uma atmosfera de acolhimento, deixando de lado a sensação de quarto vazio. Podemos, por exemplo, criar um cantinho de leitura através do uso de uma confortável chaise longue, poltrona ou até mesmo um pequeno sofá, aliados a uma mesinha de apoio com luminária. Outra opção é utilizar uma penteadeira com uma cadeira, criando um espaço próprio para perfumes e cosméticos. Bancos aos pés da cama e cômodas nas laterais também são uma ótima opção. Em todos os casos, a organização dos objetos expostos deve ser fundamental para evitar o aspecto de bagunça e excesso.

Nos quartos espaçosos podemos abusar mais das cores escuras, como os tons de vinho, marrom e cinza, criando sempre uma composição harmônica entre o mobiliário, as roupas de cama, acessórios e paredes. A utilização de tapete junto à cama também é bem vinda, principalmente quando o piso é frio.

Em ambos os casos, quartos pequenos ou espaçosos, o ambiente pode ganhar toques especiais utilizando fotografias do casal em porta-retratos ou em grandes painéis digitais (dependendo da disponibilidade de investimento). Relíquias familiares, lembranças de viagens, CDs e DVDs podem ser acomodados em prateleiras, estantes, nichos e nos criados.

A iluminação do quarto permite a criação de cenários, por isso ela deve ser organizada da seguinte forma: luz geral do ambiente, luz direcional próxima aos armários, e luz de apoio junto à cama, composta por abajures, pendentes ou arandelas. Para maior conforto a luz geral também deve ser acionada próxima da cama. A independência no acionamento das luminárias próximas da cama satisfaz necessidades diferentes do casal, um lê enquanto o outro dorme.

Portanto, com estas dicas esperamos que decoração, independente do tamanho do quarto, possa traduzir a personalidade do casal no mobiliário e acessórios empregados.

villaçaarquitetura  

Arq. Carolina Villaça